Simplus


O Luísluis2

 

 

Olá! Chamo-me Luís da Gama Roquette e nasci em Lisboa no dia 12 de Maio de 1984. Vivo desde sempre no Estoril tendo mudado de casa quatro vezes. Desde os 8 anos vivi sempre com a minha mãe, irmão e irmãs, mas já todos se casaram e agora vivo só com a minha mãe, mas sempre tive uma relação muito chegada com o meu pai.

 

O caminho

Estudei até ao 12.º ano com a ideia de que seria um artista designer formado na Academia de Belas Artes, onde cheguei a entrar com 16 valores. Fui á primeira aula e nessa aula senti-me desviado do meu caminho... A ideia de que a segurança de ter um curso nas belas artes iria falar mais alto foi totalmente abafada pelo grito que sempre marcou a minha vida e a dos outros à minha volta: a música. Até ali, as minhas escolhas de caminho, amizades, gosto, enfim, tudo passava pela música e no entanto iria escolher outra coisa para fazer o resto da minha vida? Não. Decidi deixar as Belas artes e estudar um ano de música clássica e dois anos de jazz no Hot club.

luis

Estes 3 anos deram-me uma bagagem teórica e prática consistente, em que aplico em todos os meus projectos, que são as aulas de guitarra, o grupo de fados e o conjunto de guitarras de fado, a empresa Corus (coros para missas), fados e mornas, jazz, as minhas músicas e os Simplus. O que me motivou e continua a motivar é a liberdade que sinto ao fazer aquilo para o qual sei que Deus me criou: encher os corações de música, de mensagem, de união, porque quando morrer quero deixar isto e não quero levar mais do que isto. Normalmente as coisas que gosto de fazer estão ligadas á cultura. Gosto de ler livros que me motivem, tipo: ”aqui e agora”; gosto muito de cinema, e de todos os géneros, mas principalmente de filmes como o ”Into the Wild” ou ”Forrest Gump”; gosto de ouvir música nos meus headphones e ler as letras do cd, coisa impensável nos dias de hoje! Praia, campo, beber imperiais numa esplanada a trincar qualquer coisa e conversar sobre tudo...Viajar! Tudo isto torna-se alimento para o que vou trabalhar nas músicas.

O meu caminho foi escolhido com base em duas pessoas que me marcaram profundamente, directa ou indirectamente. Essas pessoas foram: a minha mãe Isabel, que criou e educou cinco filhos praticamente só, na sua fé inabalável, com entrega, santidade e simplicidade e um desapego que ainda hoje medito horas sem fim; e o meu irmão Rodrigo, com quem durante muitos anos partilhei o mesmo quarto e, portanto, toda a música que entrou por mim a dentro foi a que ele ouvia. O som da guitarra dele, e todas as formas de arte com que ele se expressava, fazendo de mim um artista e músico inconsciente! Até a dormir a música entrava por mim a dentro porque ele fazia directas a estudar e a ouvir música e eu a dormir! De manhã acordava com uma música na cabeça sem saber porquê! A banda K’s Choice marcou o meu caminho por ser uma influência na forma de fazer música, e na simplicidade com que falam da sua vida íntima e espiritual numa letra e numa música aparentemente normal, similar aos Simplus.

 

A Maria

Eu e a Maria somos muito parecidos e por isso a nossa relação dá frutos! A Maria é uma pessoa grande porque é criativa e desapegada das coisas e das pessoas, e acima de tudo porque tem um grande sentido de humor em todas as situações em que nos encontramos. O que nos une é, de facto, a música e a nossa capacidade de estarmos poucas vezes um com o outro e de mesmo não estando ou quando estamos, criarmos algo de novo, ou conversarmos sobre tudo e todos. Pomos tudo em comum!

 

O que marca

O acontecimento mais marcante foi sem dúvida o impacto da música Entrega na vida de duas pessoas. Dois testemunhos que nos fizeram nunca mais pôr em dúvida esta nossa vocação: o primeiro, uma pessoa que estava em dúvida de ir ou não para freira e a nossa música ajudou-a a decidir a vocação de freira; o segundo, uma pessoa que estava em risco de entrar em estado de coma e quis um cd com a música a dar repetidamente nos seu ouvidos para quando estivesse nesse estado... só isto bastava!

 

O futuro

O meu objectivo pessoal e profissional é apenas sentir-me livre naquilo que faço por fazê-lo com amor e por me dar a paz e a força para seguir o meu caminho, e ajudar os outros a segui-lO, na música.

NOVIDADE!

Lançamento do novo disco - "Podes vir"

"Podes vir" é um disco em que muitas músicas pretendem dizer mais ou menos a mesma coisa de várias maneiras. Como aquelas pessoas a reformularem frases de maneiras diferentes diante de quem as ouve "com cara de dúvida". E aquilo que queremos dizer é que a vida é antes de mais espera. Esperamos em tudo, não podemos evitar esperar. Até nas coisas mais pequenas que fazemos, inconscientemente, exprimimos uma espera.

Mas espera de quê? Essa é que é a grande questão!

A nós aconteceu-nos perceber que aquilo que confusamente esperávamos já estava à nossa espera. E por isso que nos aconteceu, queremos dizê-lo a todos através da música.

Foi por isso que gravámos este disco, que agora é vosso.

simplus

Vídeos

Fotos Blog Donativos

O que dizem

"Esta obra, pobre e frágil, tem como único objectivo colaborar com a grande obra de Cristo que é a salvação do mundo."

MD